Sábado, março 2, 2024
Guia de viagem da Sardenha - Travel S Helper

Sardenha

guia de viagem
Índice analítico

A Sardenha (Sardegna/Sardigna) é a segunda maior ilha do Mar Mediterrâneo, localizada entre as Ilhas Baleares e a península italiana, ao sul da Córsega. É uma região autônoma italiana.

Voos e hotéis
pesquise e compare

Comparamos preços de quartos de 120 serviços de reserva de hotéis diferentes (incluindo Booking.com, Agoda, Hotel.com e outros), permitindo que você escolha as ofertas mais acessíveis que nem sequer estão listadas em cada serviço separadamente.

100% Melhor Preço

O preço de um mesmo quarto pode variar dependendo do site que você está usando. A comparação de preços permite encontrar a melhor oferta. Além disso, às vezes o mesmo quarto pode ter um status de disponibilidade diferente em outro sistema.

Sem cobrança e sem taxas

Não cobramos comissões ou taxas extras de nossos clientes e cooperamos apenas com empresas comprovadas e confiáveis.

Classificações e Comentários

Usamos o TrustYou™, o sistema de análise semântica inteligente, para coletar avaliações de muitos serviços de reserva (incluindo Booking.com, Agoda, Hotel.com e outros) e calcular as classificações com base em todas as avaliações disponíveis online.

Descontos e ofertas

Procuramos destinos através de uma grande base de dados de serviços de reservas. Desta forma, encontramos os melhores descontos e os oferecemos a você.

Sardenha | Introdução

Demografia da Sardenha

A Sardenha é a quarta região menos populosa da Itália, com uma densidade populacional de 69/km2, pouco mais de um terço da média nacional. No passado recente, a distribuição da população era incomum em comparação com outros distritos litorâneos italianos. Na realidade, ao contrário da crença popular, com exceção das cidades fortificadas de Cagliari, Alghero, Castelsardo e algumas outras, a maioria dos assentamentos urbanos ocorreu predominantemente nas regiões subcosteiras e em direção ao centro da ilha, e não ao longo da costa. Os periódicos ataques sarracenos ao longo da Idade Média, seguidos de ataques berberes até o início do século XIX (tornando a costa insegura), a grande atividade pastoril no interior e o ambiente pantanoso das planícies costeiras são causas históricas disso (recuperadas definitivamente apenas no século 19). Com o crescimento do turismo de praia, a situação mudou; atualmente, todos os principais centros urbanos da Sardenha estão situados ao longo das costas, enquanto o interior da ilha é escassamente habitado.

Tem a menor taxa de fecundidade total da Itália (1.087 nascimentos por mulher) e a segunda menor taxa de natalidade (que já é uma das mais baixas do mundo). Quando combinado com o rápido envelhecimento da população (pessoas com mais de 65 anos representavam 18.7 por cento da população em 2009), o despovoamento rural é um problema importante: entre 1991 e 2001, 71,4 por cento das aldeias da Sardenha perderam população (32 mais de 20% e 115 entre 10% e 20%), com mais de 30 deles prestes a se tornarem cidades fantasmas. No entanto, a população em geral cresceu devido a um influxo significativo de imigrantes, principalmente da Itália continental, Europa Oriental (particularmente Romênia), África e Ásia.

Idioma na Sardenha

Junto com o italiano (italiano), os sardos falam um dos dialetos do sardo (Sardu), que é considerado por muitos pesquisadores como uma das línguas românicas mais conservadoras; não é, de forma alguma, um dialeto italiano e muitas vezes é visto como um insulto pelos habitantes locais. Existem outras minorias linguísticas dentro da principal, onde o sardo desapareceu há muito tempo ou é mal compreendido: em Gallura e Sassari, eles falam corso, cuja variedade local é conhecida como galurese (Gadduresu), e um dialeto de transição entre o toscano medieval e o sardo ( Sassaresu), em Alghero catalão (Alguerés), e na ilha de San Pietro, um dialeto da Ligúria (Tabarch Hoje em dia, como resultado direto da política de assimilação do governo italiano em toda a ilha, os sardos geralmente falam italiano com um sotaque distinto como língua materna, que está substituindo as línguas indígenas, especialmente quando se dirigem a pessoas que não conhecem, mesmo que estejam falando com outros sardos. Fora das cidades, o inglês não é amplamente falado, com exceção talvez dos jovens; você pode ter mais sorte no cidades com outra língua neolatina, especialmente com pessoas com mais de 50 anos, mas não espere nada além do italiano (muitas vezes combinado com a língua sarda ou uma do dia lects listados acima).

Turismo na Sardenha

A Sardenha, com sua beleza mediterrânea característica, é principalmente popular para natação, canoagem, windsurf, trekking, escalada e camping, com as regiões costeiras ficando superlotadas, principalmente em agosto, o mês mais quente. A vida interior da ilha longe das armadilhas turísticas leva mais tempo para ser compreendida e exige descascar as camadas de italianização óbvia. Afinal, a antiga cultura nurágica da Sardenha, que deixou monumentos de pedra que ainda podem ser vistos hoje, antecede até a civilização etrusca da Itália continental em várias centenas de anos.

Clima da Sardenha

A Sardenha tem um clima mediterrâneo em sua maior parte. É, no entanto, muito afetada pela proximidade do Golfo de Génova (baixo barométrico) e do Oceano Atlântico. Como a Sardenha é um pouco grande e montanhosa, o clima não é consistente; o leste, em particular, é mais seco, mas estranhamente experimenta as tempestades mais fortes: no outono de 2009, derramou mais de 200 mm (8 polegadas) em Siniscola em um único dia. Mesmo em altitudes baixas, a costa oeste é chuvosa (por exemplo, Iglesias, altitude 200 m, precipitação média anual de 815 mm contra 750 mm para Londres).

Geografia da Sardenha

A Sardenha é o único território italiano de origem hercínica; na verdade, o sudoeste é muito mais antigo (cambriano). A riqueza mineral da Sardenha é resultado do intenso hidrotermalismo durante o período Permo-Triássico. A erosão tem afetado as alturas da região, assim como no resto da Europa hercínica, desde a orogenia. O bloco Sardenha-Córsega começou a se separar da Espanha continental há 30 milhões de anos e se inclinou em direção à sua localização atual. A ilha não é sísmica nem vulcânica.

A Sardenha é a segunda maior ilha do Mar Mediterrâneo (24090 quilômetros quadrados [9300 milhas quadradas]); só a Sicília é maior. A ilha é dominada pela cordilheira de Gennargentu (que culmina em Punta La Marmora, 1834 m [6017 pés], a elevação mais alta da Sardenha), bem como as cordilheiras de Monte Limbara, Monte di Ala' e Monte Rasu (todas abaixo de 1500 m [ 4900 pés]); isoladas são as colinas Sulcis-Iglesiente (1236 m [4055 pés]) das planícies do sudoeste da Sardenha são poucas e distantes entre si, com exceção da planície Campidano de Oristano a Cagliari, que separa o principal sistema de colinas do Sulcis-Iglesiente, e a planície de Nurra no noroeste (entre Sassari, Alghero e Porto Torres), que já foi um distrito de mineração e densamente florestado, mas agora é principalmente destinado a pastagens. Na década de 1940, a malária ainda era endêmica em Sulcis (no extremo sudoeste) (mas erradicada desde então). Os arredores de Cagliari são igualmente planos e pantanosos, sendo a extração de sal um negócio significativo.

As costas são principalmente rochosas e altas, particularmente ao longo da metade oriental; no entanto, grandes praias podem ser encontradas no norte e nordeste (Logudoro e Gallura), sul (de Teulada a Pula) e sudoeste (Sulcis-Iglesiente). Além do famoso Estreito de Bonifacio, que liga a Córsega e a Sardenha, a água ao redor é bastante profunda a curtas distâncias da costa.

A população é pequena (pouco mais de 1 pessoas em 650), com alta concentração em Cagliari (um terço da população total) e Sassari (um quinto); Olbia é a única outra cidade com mais de 000 2010 habitantes. Alghero, Nuoro, Oristano, Carbonia e Iglesias são algumas das outras cidades. A Sardenha, juntamente com a área de Valle d'Aosta, na fronteira francesa, tem a menor densidade populacional da Itália.

Economia da Sardenha

As circunstâncias econômicas da Sardenha são tais que a ilha está na melhor posição entre as regiões italianas ao sul de Roma. As províncias de Cagliari e Sassari, marcadas por um bom grau de empreendedorismo, foram as que mais evoluíram economicamente. De acordo com o Eurostat, o PIB nominal em 2014 foi de € 33,356 milhões, ou € 33,085 milhões em paridade de poder de compra, para um PIB per capita de € 19,900, ou 72% da média da UE. A Sardenha tem a maior renda per capita na metade sul da Itália. As principais cidades provinciais mais populosas têm rendas maiores: Cagliari tem uma renda per capita de € 27,545, Sassari tem uma renda per capita de € 24,006, Oristano tem uma renda per capita de € 23,887, Nuoro tem uma renda per capita de € 23,316, e Olbia tem uma renda per capita de € 20,827.

A economia da Sardenha, no entanto, é restringida pelos altos preços de transporte e energia, que são o dobro das regiões da Itália continental e quadruplicam a média da UE. A Sardenha é a única região italiana que produz excesso de eletricidade e a exporta para a Córsega e para o continente italiano: em 2009, entrou em operação o novo cabo submarino Sapei, que liga a Central Fiume Santo, na Sardenha, às estações conversoras de Latina, na península italiana; e desde 1965, o SACOI é outro cabo de força submarino que liga a Sardenha à Itália, atravessando a Córsega. O gasoduto submarino GALSI teria ligado o gás argelino ao continente italiano através da ilha.

A Sardenha abriga três grandes bancos: o Banco di Sardegna e o Banca di Sassari, ambos situados em Sassari; e a Banca di Credito Sardo, com sede em Cagliari, que foi adquirida pela controladora Intesa Sanpaolo em 2014.

A taxa de desemprego no quarto trimestre de 2008 foi de 8.6%; em 2012, havia subido para 14.6%. Seu aumento foi causado pela crise financeira global, que impactou as exportações da Sardenha, que se concentravam principalmente em petróleo refinado, produtos químicos, além de itens de mineração e metalurgia.

A Sardenha tem potencial para se tornar um paraíso fiscal, com todo o território insular isento de taxas alfandegárias, IVA e impostos especiais de consumo de combustível; desde fevereiro de 2013, a cidade de Portoscuso é a primeira zona de livre comércio.

Artigo 12.º do Estatuto da Sardenha, alterado pelo parlamento regional em outubro de 2013: “O território da Região Autónoma da Sardenha situa-se além da linha aduaneira e cria uma Zona Franca rodeada de água; pontos de entrada incluem portos marítimos e aeroportos. A Zona Franca da Sardenha é regida pela legislação da União Europeia e italiana, que também estão em vigor em Livigno, Campione D'Italia, Gorizia, Savogna d'Isonzo e na região do Vale de Aosta “..

Ásia

África

Austrália e Oceania

América do Sul

Europa

América do Norte

Leia Próximo

Queenstown

Queenstown é uma cidade turística na região de Otago, na Ilha Sul da Nova Zelândia. Está situado ao redor da Baía de Queenstown, no Lago Wakatipu, uma longa e estreita...

Phuket

Phuket é uma das províncias do sul da Tailândia (changwat). É composto pela principal ilha do país, Phuket, mais 32 ilhas menores ao largo de sua...

São Cristóvão e Nevis

A Federação de São Cristóvão e Nevis, às vezes referida como a Federação de São Cristóvão e Nevis, é uma nação de duas ilhas das Índias Ocidentais....

El Salvador

El Salvador, formalmente a República de El Salvador (espanhol: Reblica de El Salvador, que significa “República do Salvador”), é a menor e mais...

Cabul

Cabul é a capital da República Islâmica do Afeganistão e a maior cidade do país, situada no leste do país. De acordo com uma estimativa de 2015,...

Adelboden

Adelboden é uma linda estância de esqui na área de Bernese Oberland, na Suíça, com uma abundância de chalés suíços clássicos com janelas com venezianas vermelhas e verdes...