Quarta-feira, novembro 16, 2022
Guia de viagem do Líbano - Travel S helper

Líbano

guia de viagem

O Líbano é um estado soberano na Ásia Ocidental, formalmente conhecido como República Libanesa. É limitado ao norte e leste pela Síria e ao sul por Israel, enquanto a oeste por Chipre através do Mar Mediterrâneo. A posição geográfica do Líbano na encruzilhada da Bacia do Mediterrâneo e do interior da Arábia permitiu seu passado ilustre e criou uma identidade cultural religiosa e etnicamente diversa. Com uma área geográfica de apenas 10,452 km2 (4,036 sq. mi.), é a menor nação reconhecida em toda a península asiática.

O traço mais antigo de civilização no Líbano antecede a história registrada em mais de sete mil anos. O Líbano foi o lar dos cananeus/fenícios e seus reinos, uma civilização marítima que prosperou por quase 1,000 anos (c. 1550–539 aC). A área foi conquistada pelo Império Romano em 64 aC e acabou se tornando um dos principais centros de cristianismo do Império. Uma tradição monástica conhecida como Igreja Maronita foi fundada na área do Monte Líbano. Os maronitas mantiveram sua fé e identidade quando os muçulmanos árabes invadiram a área. No entanto, um novo grupo religioso, os drusos, também se estabeleceu no Monte Líbano, resultando em uma divisão religiosa secular. Os maronitas restabeleceram a comunicação com a Igreja Católica Romana e reafirmaram sua comunhão com Roma durante as Cruzadas. Suas alianças com os latinos afetaram a área até o período contemporâneo.

De 1516 a 1918, a área foi controlada pelo Império Otomano. Durante a queda do império após a Primeira Guerra Mundial, o Mandato Francês do Líbano assumiu as cinco províncias que compõem o Líbano moderno. Os franceses estenderam os limites da província do Monte Líbano, que eram principalmente maronitas e drusos, para acomodar mais muçulmanos. O Líbano alcançou a independência em 1943, criando um sistema político distinto conhecido como confessionalismo, uma espécie de Consociacionalismo centrado em grupos religiosos. Bechara El Khoury, presidente do Líbano durante a independência do país, Riad El-Solh, primeiro primeiro-ministro do país, e Emir Majid Arslan II, primeiro ministro da defesa do país, são considerados os fundadores do país e heróis nacionais por liderar a liberdade do país. Em 31 de dezembro de 1946, todos os soldados estrangeiros partiram inteiramente do Líbano. O Líbano é membro da Organização Internacional da Francofonia desde 1973.

Apesar de seu pequeno tamanho, o país estabeleceu uma cultura conhecida e uma forte presença no mundo árabe. Antes da Guerra Civil Libanesa (1975-1990), a nação tinha relativa paz e prosperidade, alimentadas pelo turismo, agricultura, comércio e bancos. O Líbano foi apelidado de “Suíça do Oriente” na década de 1960 devido à sua força e variedade financeira, e sua cidade, Beirute, atraiu tantos visitantes que foi apelidada de “a Paris do Oriente Médio”. No final da guerra, esforços significativos foram feitos para reabilitar a economia e restaurar a infraestrutura do país. Apesar dessas dificuldades, o Líbano tem o maior Índice de Desenvolvimento Humano e PIB per capita do mundo árabe, superando a economia rica em petróleo do Golfo Pérsico.

Voos e hotéis
pesquise e compare

Comparamos preços de quartos de 120 serviços de reserva de hotéis diferentes (incluindo Booking.com, Agoda, Hotel.com e outros), permitindo que você escolha as ofertas mais acessíveis que nem sequer estão listadas em cada serviço separadamente.

100% Melhor Preço

O preço de um mesmo quarto pode variar dependendo do site que você está usando. A comparação de preços permite encontrar a melhor oferta. Além disso, às vezes o mesmo quarto pode ter um status de disponibilidade diferente em outro sistema.

Sem cobrança e sem taxas

Não cobramos comissões ou taxas extras de nossos clientes e cooperamos apenas com empresas comprovadas e confiáveis.

Classificações e Comentários

Usamos o TrustYou™, o sistema de análise semântica inteligente, para coletar avaliações de muitos serviços de reserva (incluindo Booking.com, Agoda, Hotel.com e outros) e calcular as classificações com base em todas as avaliações disponíveis online.

Descontos e ofertas

Procuramos destinos através de uma grande base de dados de serviços de reservas. Desta forma, encontramos os melhores descontos e os oferecemos a você.

Líbano - Cartão de Informações

população

5,592,631

Moeda

Libra libanesa (LBP)

fuso horário

UTC + 2 (EET)

Área

10,452 km2 (4,036 sq mi)

Código de chamada

+961

Língua oficial

Árabe - Francês

Líbano | Introdução

Turismo no Líbano

O setor turístico contribui com cerca de 10% do PIB. Em 2008, o Líbano recebeu aproximadamente 1,333,000 visitantes, colocando-o no número 79 de 191 nações. Devido à sua vida noturna e simpatia, o New York Times classificou Beirute como o principal destino turístico do mundo em 2009. O Ministério do Turismo informou em janeiro de 2010 que 1,851,081 visitantes visitaram o Líbano em 2009, um aumento de 39% em relação a 2008. visitantes até hoje em 2009, quebrando o recorde anterior estabelecido antes da Guerra Civil Libanesa. As chegadas de turistas atingiram o pico de 2 milhões em 2010, mas caíram 37% nos primeiros dez meses de 2012, devido ao conflito na vizinha Síria.

Os três países de origem mais comuns para visitantes internacionais que visitam o Líbano são Arábia Saudita, Jordânia e Japão. O aumento da popularidade da culinária japonesa no Líbano foi atribuído ao recente fluxo de visitantes japoneses.

Pessoas no Líbano

O povo do Líbano é dividido em grupos cristãos (maronitas, ortodoxos gregos, melquitas greco-católicos, armênios, protestantes, cristãos coptas) e muçulmanos (xiitas, sunitas, alauítas) e drusos, sendo a maioria cristã (maronita, grega ortodoxos, greco-católicos melquitas, armênios, protestantes, cristãos coptas). Outros grupos menores incluem a significativa população de refugiados palestinos do país (aproximadamente 250,000). Devido ao grande fluxo de visitantes, muitos dos quais são membros da diáspora libanesa e cidadãos libaneses que trabalham no exterior, a população aumenta significativamente durante os meses de verão (junho a setembro). Há também um grande número de árabes do Golfo e do Levante.

As pessoas são extremamente descontraídas e gentis. Você não deve ter medo de abordar estranhos na rua e pedir informações, pois a maioria deles fará o possível para ajudá-lo.

Embora isso seja verdade particularmente em Beirute, Monte Líbano e algumas das cidades maiores, o Líbano é habitado por uma população relativamente aberta e altamente educada. No Vale do Bekaa e no norte e sul rurais, as atitudes e comportamentos são mais conservadores.

O Líbano era anteriormente conhecido como (o autoproclamado) Suíça e o Leste de Paris. Esse prestígio foi corroído por conflitos anteriores, mas os libaneses aprenderam a se adaptar. Sua busca por prazer e prazer ofuscou suas capacidades financeiras e questões políticas, resultando em uma série de questões ao longo dos anos, incluindo questões políticas, conflitos religiosos e questões de infraestrutura.

Geografia do Líbano

O Líbano está situado entre as latitudes 33° e 35° N e as longitudes 35° e 37° E na Ásia Ocidental. Seu território é “noroeste da placa árabe”.

A área total do país é de 10,452 quilômetros quadrados (4,036 milhas quadradas), com terra cobrindo 10,230 quilômetros quadrados (3,950 milhas quadradas). O Líbano tem uma costa mediterrânea de 225 quilômetros (140 milhas) e fronteira a oeste, uma fronteira de 375 quilômetros (233 milhas) com a Síria ao norte e leste, e uma fronteira de 79 quilômetros (49 milhas) com Israel para o sul. A fronteira do Líbano com as Colinas de Golã ocupadas por Israel é contestada em uma pequena região conhecida como Fazendas Shebaa.

A planície costeira, a cordilheira do Líbano, o vale do Beqaa e as terras altas do Anti-Líbano são as quatro principais áreas fisiográficas do Líbano.

Da fronteira síria ao norte, onde se expande para criar a planície de Akkar, até Ras al-Naqoura, na fronteira israelense ao sul, estende-se a estreita e descontínua planície costeira. A rica planície costeira é composta por sedimentos marinhos e aluviões depositados pelos rios, com baías arenosas e praias pedregosas intercaladas. As montanhas do Líbano se erguem paralelamente à costa do Mediterrâneo, formando uma cadeia de calcário e arenito que se estende por todo o país. A cordilheira é formada por cânions estreitos e íngremes e varia de largura entre 10 km (6 mi) e 56 km (35 mi). As montanhas do Líbano se elevam a uma altura de 3,088 metros (10,131 pés) acima do nível do mar em Qurnat como Sawda' no norte do Líbano, antes de se inclinar suavemente para o sul e subir para 2,695 metros (8,842 pés) no Monte Sannine. O Vale do Beqaa é um componente do sistema do Grande Vale do Rift, localizado entre as montanhas do Líbano a oeste e a cordilheira do Anti-Líbano a leste. O vale tem 180 quilômetros (112 milhas) de comprimento e 10 a 26 quilômetros (6 a 16 milhas) de largura, com depósitos aluviais formando o solo rico. A cordilheira do Anti-Líbano se estende paralelamente às montanhas do Líbano, com o Monte Hermon a 2,814 metros como seu ponto mais alto (9,232 pés).

Torrentes e rios sazonais drenam as terras altas do Líbano, sendo o mais famoso o Leontes, com 145 quilômetros de extensão, que se origina no Vale do Beqaa, a oeste de Baalbek, e deságua no Mar Mediterrâneo ao norte de Tiro. Todos os rios do Líbano não são navegáveis; 13 começam na encosta ocidental da cordilheira do Líbano e descem desfiladeiros íngremes para o Mar Mediterrâneo, enquanto os três restantes se originam no Vale do Beqaa.

Clima do Líbano

O clima do Líbano é mediterrâneo moderado, com verões quentes e úmidos e invernos frios e chuvosos.

O verão é normalmente a estação mais popular para os visitantes, já que quase não há chuva entre junho e agosto, e as temperaturas variam de 20 a 30 graus Celsius (68 a 86 graus Fahrenheit). Durante os meses de verão, no entanto, pode haver ondas de calor periódicas com o aumento da temperatura e pode ser muito úmido perto da costa. Como as montanhas são mais frias e secas do que a costa, muitos libaneses optam por passar férias nas terras altas durante o verão para escapar do calor e da umidade da costa.

O outono e a primavera são outras estações excelentes para visitar, com um pouco mais de chuva que o verão, mas sem a multidão de turistas e com muito menos umidade.

Nas áreas montanhosas que compõem uma parte significativa do país, a neve cai durante a maior parte do inverno, e há muitos resorts de esqui. A costa, por outro lado, ainda é bastante quente, com temperaturas máximas raramente caindo abaixo de 13 ° C (55 ° F), embora possa e tenha feito isso em muitas ocasiões.

Demografia do Líbano

A população do Líbano era estimada em 4,125,247 em julho de 2010, porém devido ao delicado equilíbrio político confessional entre os diferentes grupos religiosos libaneses, nenhum censo oficial foi realizado desde 1932. conquistou, ou povoou este canto do globo”, criando o Líbano “uma colcha de retalhos de civilizações intimamente ligadas”, identificar os libaneses como etnicamente árabes é um exemplo frequentemente usado de panetnicidade. Embora essa variedade étnica, linguística, religiosa e denominacional possa parecer criar turbulência social e política à primeira vista, “essa pluralidade multitudinária de grupos religiosos coexistiu com conflitos mínimos durante a maior parte da história do Líbano”.

Em 1971, a taxa de fecundidade era de 5.00, mas em 2004 caiu para 1.75. As taxas de fertilidade variaram significativamente entre os grupos religiosos: 2.10 para xiitas, 1.76 para sunitas e 1.61 para maronitas em 2004.

Mais de 1,800,000 indivíduos se mudaram do Líbano entre 1975 e 2011, resultando em uma sucessão de ondas migratórias. Milhões de indivíduos de ascendência libanesa, principalmente cristãos, vivem em todo o mundo, particularmente na América Latina. O Brasil abriga a maior comunidade de expatriados do mundo. Muitos libaneses se mudaram para a África Ocidental, especialmente a Costa do Marfim (onde vivem mais de 100,000 libaneses) e o Senegal (aproximadamente 30,000 libaneses). Mais de 270,000 libaneses vivem na Austrália (1999 est.). Há também uma diáspora libanesa considerável no Canadá, com uma estimativa de 250,000 a 700,000 indivíduos de ascendência libanesa. (Para mais informações, veja canadenses libaneses.) O Golfo Pérsico, onde Bahrein, Kuwait, Omã, Catar (aproximadamente 25,000 pessoas), Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos abrigam muitos libaneses, é outra área com uma grande diáspora.

Em 2012, o Líbano abrigava aproximadamente 1,600,000 refugiados e solicitantes de refúgio, incluindo 449,957 palestinos, 5,986 iraquianos, mais de 1,100,000 sírios e 4,000 sudaneses. A assistência da UNRWA e o trabalho braçal, pelo qual competem com aproximadamente 500,000 trabalhadores convidados sírios, são suas principais fontes de renda. De acordo com a Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a Ásia Ocidental, 71% dos refugiados sírios vivem na pobreza. As estimativas mais recentes das Nações Unidas colocam o número de refugiados sírios em cerca de 1,250,000.

Longas e devastadoras guerras militares devastaram a nação nas últimas três décadas. O conflito armado impactou a maioria dos libaneses; 75% da população tem contato pessoal direto com a guerra, enquanto a maioria do restante passou por diversas dificuldades. Quase toda a população (96%) foi afetada de alguma forma pelo conflito armado, seja diretamente ou como resultado de repercussões mais amplas.

Religião no Líbano

O Líbano é a nação com maior diversidade religiosa do Oriente Médio. O CIA World Factbook estima o seguinte a partir de 2014: muçulmanos 54% (27% islamismo xiita, 27% islamismo sunita), cristãos 40.5% (21% católicos maronitas, 8% ortodoxos gregos, 5% católicos melquitas, 1% protestantes, 5.5% por cento outros cristãos), drusos 5.6 por cento, e números extremamente pequenos de judeus, bahá'ís, budistas, hindus e mórmons. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Informação Libanês com base em dados de registro de eleitores, a população cristã permaneceu estável em 2011 em relação aos anos anteriores, representando 34.35 por cento da população; Os muçulmanos, incluindo os drusos, representavam 65.47% da população. De acordo com a Pesquisa de Valores Mundiais de 2014, 3.3% da população do Líbano é ateia.

Acredita-se que a proporção de cristãos para muçulmanos tenha diminuído nos últimos 60 anos, devido a maiores taxas de emigração cristã e uma maior taxa de natalidade na comunidade muçulmana. Os cristãos representavam 53% da população do Líbano em 1932, de acordo com o último censo. Em 1956, a população foi projetada para ser 54% cristã e 44% muçulmana.

De acordo com uma pesquisa demográfica realizada pela Statistics Lebanon, cerca de 27% da população era xiita, 27% sunita, 21% maronita, 8% ortodoxa grega, 5% drusa, 5% melquita e 1% protestante, com os outros 6% principalmente aderindo a grupos cristãos menores não nativos do Líbano.

Outras fontes, como a Euronews e o jornal La Razón, com sede em Madri, estimam que o número de cristãos seja de aproximadamente 53%.

Um censo nacional não foi realizado desde 1932 porque o número relativo de agrupamentos confessionais continua sendo um assunto controverso. Existem quatro seitas muçulmanas, 12 seitas cristãs, uma seita drusa e um grupo judaico reconhecido pelo estado.

Os moradores do sul de Beirute, do Vale do Beqaa e do sul do Líbano são principalmente xiitas.

Trípoli, Beirute Ocidental, costa sul do Líbano e norte do Líbano abrigam a maioria dos sunitas.

Os maronitas são encontrados principalmente no leste de Beirute e nas terras altas do Líbano. Eles são a maior comunidade cristã do Líbano.

Koura, Beirute, Zahleh, Rachaya, Matn, Aley, Akkar, Tripoli, Hasbaya e Marjeyoun são o lar dos ortodoxos gregos, o segundo maior grupo cristão do Líbano.

Idioma no Líbano

As línguas oficiais do Líbano são o árabe padrão e o árabe libanês, que são próximos (mas não idênticos) ao árabe falado na Síria, Jordânia e Palestina.

O árabe padrão é falado por quase todos no Líbano, e muitos também falam francês e/ou inglês. Embora o idioma principal da maioria das pessoas seja o francês, o inglês também é comumente falado. Como o Líbano era uma província mandatada pela França após a Primeira Guerra Mundial, as placas de rua e de localização são em árabe (primeiro) e francês (segundo). Sinais e mensagens externas geralmente são escritos em pelo menos dois idiomas: árabe padrão, francês e/ou inglês.

Economia do Líbano

A economia do Líbano é baseada em uma abordagem laissez-faire. A maior parte da economia é denominada em dólares e o movimento de capital em todo o país é irrestrito. O envolvimento do governo libanês no comércio internacional é limitado.

Apesar da crise mundial, a economia libanesa cresceu 8.5% em 2008 e uma revisão de 9% em 2009. De acordo com estimativas preliminares do FMI, o crescimento real do PIB caiu de 7.5% em 2010 para 1.5% em 2011, com PIB nominal projetado em US$ 41.5 bilhões em 2011. De acordo com o Banque du Liban, o crescimento real do PIB pode atingir 4% em 2012, com a inflação chegando a 6%. (contra 4 por cento em 2011). Prevê-se que a turbulência política e de segurança do mundo árabe, particularmente na Síria, tenha um efeito prejudicial nos negócios locais e nas condições econômicas.

A dívida nacional do Líbano é muito substancial e tem necessidades de financiamento externo significativas. Embora abaixo dos 154.8% em 2009, a dívida pública em 2010 ultrapassou 150.7% do PIB, ocupando o quarto lugar mais alto do mundo em porcentagem do PIB. O ministro das Finanças, Mohamad Chatah, disse no final de 2008 que a dívida ultrapassaria US$ 47 bilhões naquele ano e subiria para US$ 49 bilhões se duas empresas de telecomunicações não fossem privatizadas. Níveis de dívida exorbitantes, de acordo com o Daily Star, “desacelerou a economia e restringiu os gastos do governo em projetos vitais de desenvolvimento”.

A população urbana do Líbano é conhecida por seu espírito empreendedor. A emigração resultou na criação de “redes de negócios” libanesas em todo o mundo. As remessas de libaneses que vivem no exterior somam US$ 8.2 bilhões, representando um quinto do PIB do país. Entre os países árabes, o Líbano tem o maior percentual de mão de obra qualificada.

A Autoridade de Desenvolvimento de Investimentos do Líbano foi criada com o objetivo de incentivar o investimento no país. A Lei de Investimentos nº 360 foi adotada em 2001 para fortalecer o propósito da organização.

Os trabalhadores agrícolas representam 12% da força de trabalho total. Em 2011, a agricultura representou 5.9% do PIB do país. O Líbano tem a maior porcentagem de terras cultiváveis ​​do mundo árabe, com grandes culturas como maçãs, pêssegos, laranjas e limões.

Embora as moedas de ouro sejam produzidas em grandes quantidades no Líbano, elas devem ser informadas quando exportadas para qualquer outro país, de acordo com os regulamentos da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

Petróleo foi recentemente encontrado no interior e no fundo do mar entre o Líbano, Chipre, Israel e Egito, e as negociações entre Chipre e Egito estão em andamento para chegar a um acordo sobre a exploração desses recursos. Acredita-se que o fundo do mar entre o Líbano e Chipre tenha reservas substanciais de petróleo bruto e gás natural.

Pequenas empresas que remontam e embalam componentes importados compõem a maioria da indústria no Líbano. Em 2004, a indústria ficou em segundo lugar em termos de emprego, respondendo por 26% da população trabalhadora no Líbano, e em segundo em termos de contribuição para o PIB, respondendo por 21% do PIB do país.

Aproximadamente 65 por cento da força de trabalho libanesa trabalha na indústria de serviços. Como resultado, a contribuição do PIB representa aproximadamente 67.3 por cento do PIB libanês anual. No entanto, a dependência da economia das indústrias turísticas e bancárias a torna suscetível a distúrbios políticos.

Os bancos libaneses são conhecidos por sua liquidez e segurança. Em 2008, o Líbano era uma das sete nações do mundo cujos mercados de ações cresceram em valor.

Em 10 de maio de 2013, o ministério libanês de energia e água afirmou que imagens sísmicas do fundo do mar libanês estão passando por explicações abrangentes de seu conteúdo, com apenas cerca de 10% delas cobertas até agora. A análise preliminar dos resultados revelou que 10% da zona econômica exclusiva do Líbano continha até 660 milhões de barris de petróleo e até 301012 pés cúbicos de gás, com uma probabilidade de mais de 50%.

O conflito sírio teve um grande impacto na situação econômica e financeira do Líbano. A pressão demográfica exercida pelos refugiados sírios que atualmente residem no Líbano resultou na competitividade do mercado de trabalho. Como resultado, o desemprego mais do que quadruplicou em três anos, chegando a 20% em 2014. Os funcionários menos qualificados tiveram uma queda salarial de 14%. O impacto das restrições financeiras também foi sentido: a taxa de pobreza aumentou, com 170.000 libaneses caindo abaixo da linha da pobreza. Entre 2012 e 2014, os gastos do governo aumentaram US$ 1 bilhão, mas as perdas totalizaram US$ 7.5 bilhões. O Banco Central do Líbano estima que apenas os gastos com refugiados sírios chegam a US$ 4.5 bilhões por ano.

Requisitos de entrada para o Líbano

Restrições de visto
Devido às tensões no conflito árabe-israelense, os residentes de Israel e visitantes com qualquer prova de visita a Israel terão sua entrada negada: carimbos de entrada israelenses, carimbos de partida das fronteiras terrestres da Jordânia ou do Egito para Israel, quaisquer mercadorias com etiqueta hebraica e assim por diante .

Visto e passaporte para o Líbano

Os cidadãos turcos recebem um visto gratuito de três meses, que só pode ser renovado após um mês desde a sua chegada.

Cidadãos do Egito, Sudão, Tunísia, Marrocos, Argélia, Líbia, Iêmen, Somália, Djibuti, Mauritânia, Comores, Nigéria, Gana e Costa do Marfim são elegíveis para um visto de turista gratuito de um mês se tiverem uma viagem de ida e volta passagem, reserva de hotel e USD 2,000 (as condições de caixa podem ser isentas se você obtiver o visto na embaixada libanesa antecipadamente).

Os cidadãos da Tailândia (e mais alguns países não mencionados nesta seção) não podem obter um visto no aeroporto ou em uma embaixada libanesa. Em vez disso, um visto deve ser obtido através da sede da Segurança Geral em Beirute por um patrocinador libanês no Líbano. Este é um procedimento demorado que pode levar meses para ser concluído, então comece o mais rápido possível. Os vistos são válidos apenas por um mês, mas podem ser renovados para três meses através da Segurança Geral uma vez no Líbano.

Para os cidadãos do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC) e da Jordânia, os vistos de três meses são gratuitos. Outras nacionalidades podem pagar LBP25,000 (USD17) por um visto de 15 dias ou LBP50,000 por um visto de três meses (USD35). Esses vistos são de entrada única; vistos de entradas múltiplas também estão disponíveis para cidadãos de vários países (US$ 75 válidos por seis meses). Os vistos de trânsito gratuitos de 48 horas (válidos por três dias corridos) ainda estão disponíveis, mas apenas se você chegar por terra e partir de avião ou vice-versa.

Para algumas nações, os vistos podem ser adquiridos nas embaixadas e consulados libaneses no exterior, ou na chegada ao aeroporto de Beirute e outros portos de entrada.

Cidadãos dessas nações que vêm para o turismo recebem um visto válido de um mês gratuito que pode ser renovado por até três meses: Andorra, Antígua e Barbuda, Argentina, Armênia, Austrália, Áustria, Azerbaijão, Bahamas, Barbados, Bielorrússia, Bélgica , Belize, Butão, Brasil, Bulgária, Canadá, Chile, República Tcheca, Costa Rica, Croácia, Chipre, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Alemanha, Grécia, Hong Kong, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Japão, Cazaquistão, Quirguistão, Letônia, Lituânia, Liechtenstein, Luxemburgo, Macedônia, Macau, Malásia, Malta, México, Moldávia, Mônaco, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Palau, Panamá, Peru, Polônia, Portugal, Rússia, Romênia, São Cristóvão e Nevis, Samoa, San Marino, Cingapura, Eslováquia, Eslovênia, Coréia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Tajiquistão, Turquia, Trinidad e Tobago, Turcomenistão, Reino Unido, EUA, Ucrânia, Uzbequistão e Venezuela.

Como viajar para o Líbano

Entrar - De avião

BEY (Aeroporto Internacional de Beirute) fica a 5 km (3 milhas) ao sul do centro da cidade.Middle East Airlines opera diariamente para Abidjan, Abu Dhabi, Accra, Amã, Atenas, Cairo, Colônia, Copenhague, Dammam, Doha, Dubai, Frankfurt, Genebra, Istambul-Atatürk, Jeddah, Kano, Kuwait, Lagos, Larnaca, Londres-Heathrow, Milão-Malpensa, Nice, Paris-Charles de Gaulle, Riad e Roma-Fiumicino, Varsóvia-Okęcie.

Turkish Airlines, Cyprus Airways e Czech Airlines são boas opções para voos do Reino Unido. Mesmo voos diretos de Heathrow com MEA ou BMI costumam ser mais baratos com essas três operadoras. As companhias aéreas tchecas são sempre a opção mais econômica de Manchester.

Embarque - De ônibus

A cada hora, os ônibus partem de Damasco a uma taxa de 400 ou 500 SYP. A viagem geralmente leva de 4 a 5 horas, dependendo do tráfego na fronteira. É importante notar que, ao sair da Síria, você deve pagar uma taxa de saída de 550 SYP e obter um visto libanês de 48 horas no lado oposto da fronteira. Os vistos de trânsito são gratuitos, os vistos de trânsito de 15 dias custam LL25,000 (US$ 17) e os vistos de turista de entrada única de 30 dias custam LL50,000 (US$ 34), todos os quais devem ser pagos em libras libanesas. Os cambistas podem converter dinheiro por uma taxa (geralmente $ 1).

Entre - Por mar

O único serviço regular de balsa de passageiros entre a Turquia e o Líbano é o serviço duas vezes por semana da Akgunler Denizcilik de Tasucu, nos arredores de Mersin, para a cidade de Trípoli, no norte. Além da solitária balsa de passageiros, a única maneira de chegar ao Líbano por água é pegar um navio de cruzeiro ou, para os mais ousados, um cargueiro.

Como viajar pelo Líbano

O Líbano é uma pequena nação com uma viagem de norte a sul levando menos de três horas. Táxis de serviço, ônibus e carros são os meios de transporte mais comuns.

Como se locomover - De táxi

A maioria dos passageiros depende de táxis de serviço para se locomover. Os táxis de “serviço” circulam em rotas fixas entre vilas e cidades, semelhantes aos ônibus, mas podem ser reservados para chegar a locais adicionais com pouca discussão. Cada táxi transporta entre 4 (dentro das regiões metropolitanas) e 6 (viagens mais longas) pessoas que dividem o preço. Para pequenas distâncias de alguns quilômetros/milhas, a tarifa é de 2000 LL (lira libanesa), que é de aproximadamente US$ 1.33, e aumenta com base na distância a ser percorrida, tráfego naquela rota específica e, é claro, habilidades de persuasão/negociação , como tudo no Líbano. Uma viagem de Táxi privado sem ter que compartilhar com outros passageiros é comparável a um Táxi de “Serviço” na medida em que exige a mesma pré-negociação para definir o preço e custa pelo menos 10,000 LL (6.66 US$) como regra geral . Uma palavra de cautela: nunca embarque em um táxi ou “serviço” sem primeiro concordar com uma taxa.

Táxis e táxis de “serviço” são essencialmente os mesmos, e o método de operação é determinado pela disponibilidade e demanda de passageiros. No Líbano, a maior parte dos táxis de “serviço” são veículos Mercedes de 1975 que percorrem as ruas em busca de clientes buzinando. Novos tipos de veículos que servem principalmente como táxis de “serviço” estão começando a surgir nas ruas libanesas, com o mesmo preço de seus irmãos mais velhos.

A placa vermelha pode ser vista em todos os tipos de veículos de transporte público no Líbano (táxis, ônibus, minivans e até caminhões).

Como se locomover - De ônibus

Existem muitas linhas de ônibus que são convenientes e baratas. A Estação Charles Helou (leste do centro da cidade) é de onde partem a maioria dos ônibus para o norte do Líbano, enquanto a “Estação” Cola é de onde partem a maioria dos ônibus para o sul e sudeste de Beirute (incluindo Damasco e Baalbek) (que é realmente uma interseção adjacente à a ponte de Cola).

Como se locomover - De carro

Em comparação com outros países da região, alugar um carro no Líbano é bastante caro. Com persistência e negociação, preços razoáveis, se não precisamente baratos, podem ser obtidos e, uma vez que você tenha seu aluguel, a gasolina é fácil de encontrar. No entanto, lembre-se de que a gasolina não é barata e é uma das mais afetadas pela inflação.

A maioria das estradas do Líbano está em más condições e os motoristas libaneses não são famosos por sua prudência. Ao dirigir no Líbano, tenha muito cuidado. Mesmo em lugares não afetados pelo ataque israelense, enormes buracos podem ser vistos nas principais rodovias de várias pistas no centro de Beirute.

Para os motoristas ocidentais acostumados a dirigir com segurança, dirigir no Líbano deve ser considerado uma atividade intensa. Os nomes das ruas são quase inexistentes. A condução na montanha é especialmente perigosa, pois geralmente envolve rodovias de um carro em ruas de mão dupla. Durante o horário de pico, o tráfego em grandes cidades como Beirute e Trípoli, bem como na rota de Beirute a Kaslik, pode ser altamente congestionado e demorado, convertendo uma viagem de 20 minutos em quase uma hora.

Destinos no Líbano

Cidades do Líbano

  • Beirute - a capital e maior cidade
  • Baalbek - um sítio arqueológico fenício e romano
  • Byblos (Joubeil) – outra cidade com muitos vestígios, castelos e museus
  • Jezzine - principal estância de verão e destino turístico do sul do Líbano
  • Jounieh – conhecida por seus resorts à beira-mar e casas noturnas
  • Sidon (Saida) – muitos vestígios medievais
  • Tripoli (Trablus) – ainda intocada pelo turismo de massa
  • Tire (Sour) – tem vários locais antigos, incluindo o Hipódromo Romano, que é Patrimônio Mundial da UNESCO
  • Zahle - capital do Vale do Bekaa

Outros destinos no Líbano

  • Batroun é uma cidade histórica na costa do Mediterrâneo com um movimentado centro da cidade repleto de restaurantes, cafés, pubs e discotecas.
  • Bcharre é uma porta de entrada para a floresta Cedars of God e as pistas de esqui Cedars, e é cercada por montanhas.
  • Ehden é uma cidade montanhosa com várias atrações e uma paisagem encantadora. A Reserva Natural de Ehden está localizada aqui.
  • Barouk é conhecida por seus bosques de cedros.
  • Jeita – Conhecida por sua Gruta
  • A casa do poeta libanês Khalil Gibran pode ser visitada no Vale do Kadisha.
  • Beiteddine – Esta cidade é conhecida pelo seu palácio.
  • Deir el Qamar, no distrito de Chouf, é uma aldeia tradicional.
  • Baskinta é uma pequena vila localizada na base do Monte Sannine.
  • Qornet El-Sawda é a montanha mais alta do país.
  • Mzaar Kfardebiane – Mzaar Kfardebiane é conhecida por suas pistas de esqui.
  • No Vale do Beqaa, Qaraoun é conhecida por seu lago.
  • Os vinhedos são bem conhecidos em Kefraya.
  • Brummana é uma vila histórica que é muitas vezes referida como uma estância de verão devido ao seu clima agradável, vistas magníficas de Beirute e vida noturna animada.
  • Al Shouf Cedar Nature Reserve – Esta reserva natural de 550 quilômetros quadrados (210 milhas quadradas) tem trilhas para caminhadas entre cedros milenares. Niha, Barouk, Maaser el Shouf, Ain Zhalta e Aammiq estão todos por perto.

Acomodações e hotéis no Líbano

Existem vários hotéis no Líbano, que variam em preço e qualidade, de US$ 10 por noite a centenas de dólares por noite, e a qualidade varia muito. Muitas grandes marcas de hotéis, como Intercontinental, Holiday Inn e Crowne Plaza, bem como hotéis boutique locais e do tipo “mamãe e pop”, bem como hotéis econômicos de baixo custo, podem ser encontrados aqui.

Se você planeja ficar por muito tempo, apartamentos mobiliados ou hotéis all-suites são a melhor opção para economizar, pois incluem limpeza e outros serviços.

O que ver no Líbano

O Líbano tem uma paisagem diversificada, que vai de lindas praias a planaltos e vales. Os libaneses se divertem com o fato de o Líbano ser uma das poucas nações onde você pode esquiar de manhã e depois ir à praia à tarde (embora seja impossível fazer isso por causa do tráfego). Tenha em mente que isso só é viável por alguns dias por ano, normalmente durante a transição do inverno para a primavera e/ou do verão para o outono.

Downtown Beirute O pitoresco centro da cidade surpreende os visitantes de todo o mundo. Os turistas podem saborear uma deliciosa refeição ou um café nos cafés ao ar livre da Place de l'Etoile. Além disso, a capital oferece uma variedade de restaurantes e pontos de encontro para pessoas de todas as idades. Existem muitas discotecas, bares, cafés e restaurantes para todos os gostos e orçamentos.

Os templos romanos de Baalbeck estão entre os maiores e mais magníficos vestígios romanos do mundo.

O Sítio Arqueológico Al Bass de Tiro, um Patrimônio Mundial da UNESCO, é um dos maiores e mais bem preservados sítios arqueológicos romanos do mundo. O local inclui uma vasta Necrópole, um grande arco monumental que leva a uma Estrada Romana, um excelente exemplo de aqueduto e o maior e mais bem preservado Hipódromo Romano já descoberto.

Jeita Grotto é uma gruta localizada em Jeita, uma das novas Sete Maravilhas Naturais do Mundo, Jeita Grotto, foi indicada. Jeita Grotto é a joia da coroa turística do Líbano, com duas grutas espetaculares para oferecer aos visitantes. É uma fonte de fascínio para famílias inteiras que desejam explorar um mundo fascinante nas profundezas do solo. O “Sítio Turístico de Jeita” reúne todos os aspectos da natureza, incluindo pedra, água, árvores, flores, ar e animais, em um cenário ousado com um toque de história cultural libanesa. É uma das maravilhas naturais mais impressionantes e fascinantes do mundo.

Beiteddin O palácio de Beiteddine é uma das joias arquitetônicas mais autenticamente árabes. O “midane”, um enorme espaço retangular para os hóspedes, e um menor para os aposentos privados reais, ambos com uma bela fonte no centro, compõem este marco histórico.

Vale de Qadisha (Vale Sagrado) O “Vale Sagrado” se estende de Bcharreh até a costa no norte do Líbano. É o lar de uma infinidade de cavernas, capelas e mosteiros e está incluído na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Byblos, também conhecida como “Jbeil” em árabe, é uma cidade fenícia que foi designada como Patrimônio Mundial da UNESCO. Um castelo medieval e um anfiteatro romano estão entre as atrações turísticas, assim como muitos cafés e restaurantes costeiros que oferecem frutos do mar frescos.

Anjar é uma cidade no Vale do Beqaa com uma variedade de restaurantes locais que servem cozinha tradicional libanesa. Os restos de uma cidade omíada do século VIII podem ser encontrados na cidade.

O que fazer no Líbano

Vida noturna no Líbano

O povo do Líbano teve que se ajustar à agitação política. O Líbano é, sem dúvida, a capital do partido no Oriente Médio. Existem vários bairros de vida noturna em Beirute, como o bairro Gemmayze, que é principalmente cheio de bares e restaurantes, ou Monot Street, que tem boates e pubs. Discotecas ao ar livre como Sky Bar, White e Iris também são populares no Líbano. A Grande Beirute é uma cidade que nunca dorme, já que a grande maioria de seus negócios está aberta 24 horas por dia.

As casas noturnas libanesas são variadas, com estilos “oriental” e “ocidental”, bem como uma combinação de ambos.

Sporting Club, Oceana, Laguava ou Edde Sands e Janna Sur Mer são apenas algumas das belas praias e resorts de praia no Líbano. Esses locais, por outro lado, não são baratos e podem ser bastante caros, principalmente para o viajante com orçamento limitado.

Caminhada no Líbano

A Rota da Montanha do Líbano (LMT) é uma trilha nacional de caminhada de 350 quilômetros que vai de Al Qobaiyat, no norte, a Marjaayoun, no sul do Líbano. A trilha não é bem definida, e você precisa contratar um guia se não quiser se perder. Os guias podem ser caros, mas vale a pena negociar com eles. Se você quiser ir sozinho, o campo é densamente habitado e você nunca estará longe de outras pessoas. Esta é de longe a melhor maneira de observar o Líbano em seu estado natural!

Esquiar no Líbano

O Líbano oferece seis resorts de esqui com pistas preparadas que atraem todos os níveis de esquiadores e snowboarders. Quilômetros de pistas de esqui cross-country e raquetes de neve aguardam exploração fora das áreas esquiáveis; O Líbano oferece algo para todos. Cada estação de esqui tem sua própria personalidade distinta.

Comida e bebida no Líbano

Comida no Líbano

A comida do Líbano é excelente, com refeições vegetarianas como tabouleh, fattoush e waraq ainab, além de deliciosos molhos como hommos e moutabal.

Churrasco libanês, como shish tawouq (frango assado) - normalmente comido com alho, lahm mashwiye (carne assada) e kafta, são must-haves (carne picada temperada grelhada).

Dependendo de onde você for, um jantar completo em um restaurante local pode custar apenas 15 dólares americanos (22500 LL), mas também há opções mais caras.

Sanduíches, como sanduíches de shawarma, também estão disponíveis como “comida rápida” libanesa em quiosques de beira de estrada (conhecidos em outros países como doner – ou giroscópios na Grécia). Shawarma é embrulhado em pão libanês fino. Vários sanduíches de carne assada também estão disponíveis, assim como baço de cordeiro ou frango, miolos, medula óssea de cordeiro e testículos de cordeiro.

O café da manhã normalmente consiste em manaeesh, que se assemelha a uma pizza dobrada com zaatar (uma mistura de especiarias de tomilho, azeite e sementes de gergelim), jebneh (queijo) ou carne picada como coberturas (esta versão é mais apropriadamente chamada de lahm bi ajin ).

Outro item típico da manhã é o knefeh, uma espécie de queijo empanado servido em um pão de gergelim com calda grossa. Também é uma opção de sobremesa.

O Líbano também é conhecido por seus doces árabes, que podem ser encontrados em muitos dos melhores restaurantes do país. Trípoli, por outro lado, é conhecida como “a” cidade dos doces libaneses, e é muitas vezes referida como a “Capital Doce” do Líbano.

Cadeias alimentares internacionais podem ser encontradas em todo o país. As cozinhas italiana, francesa, chinesa e japonesa, bem como franquias de cafés (como Starbucks, Dunkin' Donuts e outras), são muito populares no Líbano, com maior concentração em Beirute e na expansão urbana ao norte da cidade.

Bebidas no Líbano

Os vinhos do Líbano são bem conhecidos em todo o mundo. As uvas são cultivadas no Vale do Bekaa desde a antiguidade, e os vinhedos fornecem o vinho base para a destilação na aguardente nacional Arak, que, como Ouzo, tem sabor de anis e se torna turva quando diluída em água. Meze é tradicionalmente servido com Arak.

No entanto, as uvas também foram utilizadas para produzir vinho no passado. As tropas e oficiais que chegaram para governar o mandato francês após a Primeira Guerra Mundial geraram uma demanda por vinho tinto, e vastas áreas da uva Cinsault foram plantadas especificamente para esse fim. Estes foram complementados pelas variedades estrangeiras mais populares, incluindo Cabernet Sauvignon e Chardonnay, durante os últimos 20 anos.

As vinícolas costumam oferecer degustações de vinhos e são amigáveis. Chateau Musar está localizado perto de Ghazir, 15 milhas ao norte de Beirute, e importa uvas da região de Bekaa. A enorme Kefraya, Ksara, a vinícola mais antiga de todas, Massaya, um novo produtor popular em Tanail, e Nakad em Jdeita, que, como Musar, aderiu a um método antiquado excêntrico, estão entre as vinícolas de Bekaa. Na área de West Bekaa, Kefraya também tem um ótimo restaurante, e a paisagem é linda de se viajar.

Dinheiro e compras no Líbano

A libra libanesa, abreviada como “LBP”, ou a “Lira libanesa”, abreviada como “LL”, é a sigla mais usada. Com um valor de cerca de LL1,500 a US$1, seu valor se mantém constante em relação ao dólar americano. Quase tudo aceita libras libanesas ou dólares americanos, e é normal pagar em dólares, mas receber troco em libras (nesse caso, certifique-se de não ser trocado).

LL1000, LL5000, LL10,000, LL20,000, LL50,000 e LL100,000 são as notas usadas. ps Existem dois tipos de LL1000, ambos aceitáveis.

As notas LL1, LL5, LL10, LL25, LL50, LL100, LL250 e LL500 não foram utilizadas.

Existem dois tipos de moedas: LL250 e LL500. As moedas LL25, LL50 e LL100 raramente são usadas.

Festivais e feriados no Líbano

O Líbano observa feriados nacionais, bem como festivais cristãos e muçulmanos. Ambos os calendários gregoriano e juliano são usados ​​para comemorar os festivais cristãos. O calendário gregoriano é usado pelos ortodoxos gregos (exceto pela Páscoa), católicos, protestantes e cristãos melquitas, que celebram o Natal em 25 de dezembro. De acordo com o calendário juliano, os cristãos apostólicos armênios celebram o Natal em 6 de janeiro. O calendário lunar islâmico é usado para determinar os festivais muçulmanos. Eid al-Fitr (a festa de três dias no final do mês do Ramadã), Eid al-Adha (A Festa do Sacrifício), que é observada durante a peregrinação anual a Meca e comemora a disposição de Abraão de sacrificar seu filho a Deus , o Nascimento do Profeta Muhammad e Ashura estão entre os feriados muçulmanos observados (o Dia do Luto Xiita). Dia dos Trabalhadores, Dia da Independência e Dia dos Mártires são feriados nacionais no Líbano.

A cultura libanesa inclui festivais de música, que geralmente são realizados em locais históricos. O Baalbeck International Festival, o Byblos International Festival, o Beiteddine International Festival, o Jounieh International Festival, o Broumana Festival, o Batroun International Festival, o Ehmej Festival, o Dhour Chwer Festival e o Tyr Festival estão entre os mais conhecidos. O Ministério do Turismo do Líbano promove esses eventos. A cada ano, o Líbano realiza aproximadamente 15 shows internacionais, colocando-o em primeiro lugar no Oriente Médio e sexto global em termos de vida noturna.

Feriados no Líbano

  • Dia de Ano Novo (Janeiro 1)
  • Natal armênio (Janeiro 6)
  • Dia de São Valentim (14 de fevereiro)
  • Dia de São Maroun (9 de fevereiro)- observâncias religiosas cristãs.
  • Dia do Profeta (9 de março)- observâncias religiosas islâmicas
  • Festa da Anunciação (Março de 25)
  • Sexta-feira Santa
  • Domingo de Páscoa – observâncias religiosas cristãs.
  • Dia do Trabalho (1º de maio) - a maioria das empresas e escolas fechou.
  • Libertação do Sul (Maio 25)
  • Dia de São Elias (20 de julho) - Muitos fogos de artifício e festivais.
  • Dia da Assunção (15 de agosto)
  • Ramadã (variável) - observâncias religiosas islâmicas
  • Eid el Fitr (variável)-observâncias religiosas islâmicas
  • Dia da Independência (22 de novembro)- Todas as empresas e escolas fecharam.
  • Eid il-Burbara ou Dia de Santa Bárbara (4 de dezembro) - observâncias religiosas cristãs.
  • Dia de Natal (25 de dezembro)- A maioria das empresas e restaurantes fechou na noite anterior e durante todo o dia; reunião familiar, troca de presentes, observâncias religiosas cristãs.
  • Passagem de Ano  (Dezembro 31)

Tradições e costumes no Líbano

Como o Líbano é uma nação com muitos grupos religiosos distintos, é prudente respeitar a diversidade religiosa entre o povo libanês. Ao visitar lugares religiosos (igrejas, mesquitas, etc.), bem como cidades e vilas rurais, recomenda-se o uso de trajes modestos.

Mesmo em Beirute, alguns bairros são mais conservadores do que outros, então os turistas devem ter isso em mente enquanto visitam a cidade. No geral, porém, o vestuário 'ocidental' é geralmente aceitável, portanto, mantenha seu traje modesto para proteger seus riscos. No entanto, tenha em mente que, por mais aberta e ocidental que Beirute seja, esta não é a Europa; ir “topless” em qualquer praia, privada ou pública, não é aconselhável.

As mulheres são aconselhadas a se vestir modestamente em Trípoli, principalmente na cidade antiga. O mesmo pode ser dito para a maioria dos tradicionais souks do país. Em geral, os libaneses estão acostumados a uma variedade de estilos de vida, e alguns se ofendem rapidamente, principalmente quando se trata de questões de vestuário. Embora nem todos os libaneses tenham a mente aberta, os libaneses estão acostumados à variedade e, portanto, são mais fáceis de abraçar outros estilos de vida.

Devido a sensibilidades políticas, incluindo a guerra com Israel e a crise com a Síria, os visitantes devem evitar discutir política, principalmente em relação a essas duas nações.

Cultura do Líbano

A cultura do Líbano é resultado de milhares de anos de interação entre diferentes civilizações. Originalmente habitada pelos cananeus-fenícios, a cultura libanesa se desenvolveu ao longo de milênios, atraindo todos esses grupos. Foi invadida e colonizada por assírios, persas, gregos, romanos, árabes, fatímidas, cruzados, turcos otomanos e, mais recentemente, franceses. A população variada do Líbano, que inclui pessoas de muitas origens étnicas e religiosas, também influenciou os festivais, estilos musicais, literatura e comida do país. Os libaneses “têm uma cultura essencialmente semelhante” apesar de sua diversidade étnica, linguística, religiosa e denominacional. O árabe libanês é amplamente falado, e a culinária, a música e a literatura do país estão profundamente enraizadas em “tradições mais amplas do Mediterrâneo e do Levante árabe”.

Artes

Khalil Gibran é mais conhecido na literatura por seu romance O Profeta (1923), que foi traduzido para mais de vinte idiomas. Elias Khoury, Amin Maalouf, Hanan al-Shaykh e Georges Schehadé estão entre os autores libaneses modernos que ganharam aclamação mundial.

Moustafa Farroukh foi um dos pintores libaneses mais conhecidos do século XX. Ao longo de sua carreira, ele expôs em locais que vão de Paris a Nova York e Beirute. Muitos artistas mais modernos estão trabalhando atualmente, como Walid Raad, um artista de mídia contemporânea baseado em Nova York.

A Arab Image Foundation contém uma coleção de mais de 400,000 imagens do Líbano e do Oriente Médio na área de fotografia. As fotos estão expostas em um centro de pesquisa e a coleção foi promovida por meio de diversos eventos e publicações no Líbano e em todo o mundo.

Cultura popular

A música do Líbano permeia a cultura do país. A música folclórica tradicional ainda é popular no Líbano, mas a música contemporânea que combina gêneros árabes ocidentais e tradicionais, bem como pop e fusão, está rapidamente ganhando apelo. Lydia Canaan, uma figura histórica e pioneira musical libanesa, é reconhecida como a primeira estrela do rock no Oriente Médio no Rock and Roll Hall of Fame e na Biblioteca e Arquivos do Museu em Cleveland, Ohio, EUA. Canções tradicionais libanesas, árabes clássicas, armênias e contemporâneas francesas, inglesas, americanas e latinas podem ser ouvidas nas estações de rádio.

Segundo o crítico de cinema e historiador Roy Armes, o cinema libanês era o único cinema da região de língua árabe que poderia ser considerado um cinema nacional, além do egípcio. O Líbano tem cinema desde a década de 1920, e o país produziu mais de 500 filmes.

A mídia libanesa não é apenas um centro industrial regional, mas também um dos mais liberais e livres do mundo árabe. Repórteres Sem Fronteiras afirma que “a mídia goza de maior liberdade no Líbano do que em qualquer outra nação árabe”. Apesar de sua pequena população e localização geográfica, o Líbano desempenha um papel significativo na criação de informações do mundo árabe e está “no coração de uma rede de mídia regional com consequências globais”.

Desportos

Existem quatro resorts de esqui no Líbano. Devido à localização incomum do Líbano, esquiar de manhã e nadar no Mar Mediterrâneo à tarde são viáveis. Basquete e futebol são dois dos esportes competitivos mais populares do Líbano. Outras atividades recreativas populares no Líbano incluem canoagem, ciclismo, rafting, escalada, natação, vela e espeleologia. Todo outono, a Maratona de Beirute atrai corredores de elite do Líbano e de todo o mundo.

No Líbano, a liga de rugby é um esporte relativamente jovem, mas em rápido desenvolvimento. A seleção da liga nacional de rugby do Líbano competiu na Copa do Mundo de Rugby League de 2000 e se classificou para as edições de 2008 e 2013 por um fio. O Líbano competiu novamente na Copa da Europa de 2009, onde o time derrotou a Irlanda para terminar em terceiro depois de perder por pouco a qualificação para a final. Hazem El Masri, natural de Trípoli, sempre será lembrado como o melhor jogador libanês de todos os tempos. Em 1988, mudou-se do Líbano para Sydney, na Austrália. Ele se tornou o maior pontuador da história da National Rugby League em 2009, somando 2418 pontos enquanto jogava com o Canterbury-Bankstown Bulldogs na Austrália, onde também detém o recorde de aparições na primeira série (317) e tentativas (159). Ele também é o maior pontuador (12 tentativas) e o maior pontuador (136 pontos) da seleção libanesa em nível internacional.

O basquete é jogado no Líbano. Três vezes seguidas, a Seleção Libanesa se classificou para o Campeonato Mundial da FIBA. O Sporting Al Riyadi Beirut, atual campeão árabe e asiático, e o Club Sagesse, que já venceu os campeonatos asiático e árabe, são dois dos times de basquete mais dominantes do Líbano. O jogador mais condecorado da Liga Nacional Libanesa de Basquete é Fadi El Khatib.

A Premier League libanesa, cujos times de maior sucesso são o Al-Ansar Club e o Nejmeh SC, e cujos jogadores famosos incluem Roda Antar e Youssef Mohamad, o primeiro árabe a liderar um time da primeira liga europeia, é um dos esportes mais populares da a nação.

O Líbano sediou a Copa Asiática da AFC e os Jogos Pan-Árabes nos últimos anos. O Líbano sediou o Jeux de la Francophonie 2009 de 27 de setembro a 6 de outubro e competiu em todos os Jogos Olímpicos desde o início, ganhando quatro medalhas ao todo.

Samir Bannout, Mohammad Bannout e Ahmad Haidar são conhecidos fisiculturistas libaneses.

Nos últimos anos, os esportes aquáticos também provaram ser extremamente populares no Líbano. Desde 2012, quando a ONG Festival da Água do Líbano foi fundada, maior foco foi dado a essas atividades, e o Líbano foi promovido mundialmente como um destino de esportes aquáticos. Eles realizam várias competições e esportes aquáticos para incentivar seus seguidores a se envolverem e ganharem muito.

Fique seguro e saudável no Líbano

Fique seguro no Líbano

A esmagadora maioria do povo libanês é agradável e a maioria dos visitantes não tem problemas. No entanto, as tensões com Israel podem aumentar (embora sejam geralmente limitadas ao sul do Líbano), então os visitantes devem ficar de olho na imprensa independente enquanto estiverem no país.

Ao visitar lugares específicos, é aconselhável estar acompanhado, como em qualquer nação. Em geral, os campos de refugiados palestinos e as fronteiras israelenses devem ser evitados.

Algumas partes do Líbano, como Erssal ou Aarsal no norte de Bekaa, são famosas por sequestrar expatriados e mantê-los como resgate.

Os visitantes devem sempre se registrar em suas respectivas embaixadas assim que chegarem ao Líbano e manter-se informados sobre quaisquer avisos de viagem.

Números de telefone úteis:

  • Polícia: 112 ou 911 ou 999 (é comum que, se você ligar para eles por infrações de pequena escala, por exemplo, roubo de carteiras ou assédio sexual, eles não virão).
  • Corpo de Bombeiros: 175 (apenas na região metropolitana de Beirute)
  • Defesa civil: 125 (fora de Beirute)
  • A Cruz Vermelha (Resposta do Médico): 140
  • Informações: 1515

Mantenha-se saudável no Líbano

O Líbano tem um sistema de saúde profissional e privado, tornando-se um destino popular para o turismo de saúde na área. Os seguintes hospitais estão localizados principalmente em Beirute:

  • AUH (Hospital Universitário Americano), área de Hamra: + 961-1-344704.
  • RHUH (Hospital Universitário Rafic Hariri), área de Bir Hassan: + 961-1-830000.
  • Hotel Dieu de France, área de Ashrafieh: + 961-1-386791.
  • Hospital Rizik, área de Ashrafieh: +961-1-200800.
  • Hospital Mont Liban, área de Hazmieh: +961-1-955444.
  • Hospital Sacré Coeur, área de Hazmieh: +961-1-451704.
  • Hospital Saint George, área de Ashrafieh: + 961-1-441000.
  • Tel Shiha - Zahle, Beqaa
  • Hospital Nini - Tripoli, Norte do Líbano: + 961-6-431400.
  • Hopital Albert Haykel - Koura, Norte do Líbano: + 961-6-411111.
  • Hospital do Sahel – Área da Avenida do Aeroporto: +961-1-858333
  • Hospital Jabal Amel - Área de Jal Al Baher, Pneu: + 961-7-740343, 07-740198, 07-343852, 03-280580
  • Labib Medical Center - Abou Zahr Street, Sidon Area: + 961-7-723444, 07-750715 / 6
  • Hospital Bahman - Beirute, Área Haret Hreik: + 961-1-544000 ou 961-3-544000

É essencial que você faça um seguro de viagem antes de partir para o Líbano. Hospitais no país podem ser extremamente caros, e pagamentos em dinheiro podem ser exigidos antecipadamente devido à ausência de seguro.

Ásia

África

Austrália e Oceania

América do Sul

Europa

América do Norte

Leia Próximo

Beirute

Beirute é a capital do Líbano, com uma população metropolitana de cerca de 2.1 milhões de pessoas. O assentamento está situado em um pequeno afloramento rochoso saliente...

Tripoli

Trípoli é a principal cidade do norte do Líbano e a segunda maior do país. É a capital do Governorate do Norte e Trípoli...